Victor | Tribox

Por que ter um site, se não vendo pela internet?

Se você é um empreendedor e tem um negócio, este post foi especialmente elaborado para você!

Em algum momento você já deve ter se perguntado: Meu negócio é local. Por que ter um site, se não vendo pela internet? Tenho uma pequena empresa, por que preciso de um site?

Estas são algumas das principais questões levantas pelos empreendedores quando são indagados sobre a importância de ter seu próprio site.

Neste post, vamos listar 3 principais benefícios de se ter um próprio site, e o porquê ele deveria ser sua prioridade número um, quando se trata da divulgação do seu negócio.

1 – Ter site próprio é como ter sua tão sonhada casa própria, enquanto usar apenas redes sociais e Marketplaces para divulgar seu negócio e vender seus produtos é como se morar de aluguel.

Esta afirmação deve-se, principalmente, ao fato de que no seu site próprio é você quem decide o que irá postar, divulgar e a forma de vender, se for o caso, seus produtos. E independente do que aconteça, ou das mudanças de comportamento de seus consumidores, o site sempre poderá ser gerido por você e da forma que quiser.

No caso de redes sociais, por exemplo, embora seja atualmente uma excelente estratégia de divulgação e vendas para sua empresa, você sempre estará sujeito a regras impostas por estas. Um exemplo recente foram as mudanças feita pelo Facebook em seu algoritmo, controlando o que seus amigos e clientes vêem em seu feed, de maneira pouco clara, deixando todos a mercê de suas decisões, sem chances de questionar ou explicações claras e convincentes de tais mudanças. Simplesmente, se quisermos continuar a usarmos a rede, teremos de aceitar e ponto final. Sem falarmos, no Orkut, uma das primeiras redes sociais mais difundidas e acessadas no Brasil, que atualmente não existe mais.

O Marketplaces, não são diferentes, eles são excelentes ferramentas de vendas para seus produtos, pois possuem milhões de acessos mensais, e transferem, de certa forma, credibilidade aos clientes compradores. No entanto, do ponto de vista financeiro, para participar desta modalidade de vendas o empreendedor precisar fazer periodicamente seu Mark-up, dentre outras análises, para poder absorver os custos altíssimos de comissões cobrados por estes, que podem chegar até 40% do valor do produto vendido. E podem alterar a regra do jogo a qualquer momento, sem levar em consideração o relacionamento que você criou durante o tempo que foi parceiro comercial deles.

 

2 – Propaganda e divulgação 24 horas no ar, sete dias por semana, sem pagar mais por isso. O site fica disponível para seus clientes te encontrarem a todo momento, e você não paga mais por isso.

Fazendo uma comparação com outros investimentos de propagandas, principalmente pelos meios tradicionais, como rádio, jornal, revistas e outros utilizados pelos pequenos empreendedores, o site é o mais barato, proporcionalmente, ao uso e exposição do seu negócio e o mais importante, você consegue ter métricas totalmente mensuráveis, diferentemente das outras formas de comunicação que trabalham com alcance estimado, que nem sempre conseguem ser mensurados corretamente.

Exemplo, você pode usar uma ferramenta, excelente, gratuita que se chama Analytics, do Google, e acompanhar todo acesso ao seu site, seja por dia hora, cidade que seu cliente está, como chegou até seu site, o que ele se interessou nele, idade, sexo e outras informações que poderão ajudá-lo na tomada de decisões na sua empresa.

 

3 – Custa caro ter um site? Quais serão meus custos? A resposta principal para esta pergunta é que precisamos mudar nossa forma de encarar o uso deste tipo de estratégia para sua empresa. Bom, primeiro precisamos fazer a seguinte análise. Quando estamos montando nosso negócio e estamos levantando os investimentos que serão necessários para a abertura da empresa, sempre colocamos os valores para criar e manter um site no ar, como se fosse um custo ou uma despesa. Importante, não estamos querendo mudar o entendimento da contabilidade ou do financeiro em relação a isso, mas na verdade o entendimento e a visão do empreendedor, que deveria planejar esta estratégia como um verdadeiro investimento, que vai trazer retornos importantíssimos para empresa, seja a curto, médio e longo prazo, de acordo com o planejamento da mesma.

Analisando desta óptica, você estará colocando um filtro em sua percepção, e com toda certeza deixará de lado muitos preconceitos em relação ao que é necessário para ter um site profissional, que realmente traga resultados positivos para sua empresa, de acordo com o que foi planejado, e estará pronto para o que segue: para se ter um site próprio, devemos iniciar com o registro do domínio, ou seja, seu endereço na internet, algo como www.suaempresa.com.br. O investimento para o registro, uma taxa paga para o órgão regulador da internet no Brasil, é de R$ 40,00 por ano. Isso mesmo, R$ 40,00 reais por ano, para você ter seu próprio endereço na internet! E acredite: Boa parte dos empreendedores, não fazem o registro do seu domínio!

Na sequência, teremos o investimento no desenvolvimento e hospedagem do seu site. Sim, é verdade que você terá de pagar por estes dois serviços. Um para criar o site de acordo com suas necessidades e planejamento e ou outro para manter seu negócio na internet.

E falando disso, não acredite em milagres! O retorno do investimento é relativo ao valor investido, sempre. Claro, que ninguém está falando para você rasgar dinheiro, pagando por aquilo que não irá utilizar, no entanto, desconfie quando a proposta for do tipo, paga isso e não precisa pagar mais nada, ou o serviço “grátis é igual ao pago”. Atualmente, na internet, encontra-se muitos serviços gratuitos que podem ajudar muito seu negócio, mas quase sempre são planos de entrada, degustação, para um serviço maior que com toda certeza terá custo. Lembre-se da máxima “não existe almoço grátis” se aplica neste tipo de negócio.

 

Bom, caso tenha alguma dúvida sobre o que foi dito neste post, fique à vontade para perguntar, podemos ajudá-lo no planejamento do seu negócio na internet. Pode nos chamar pelo WhatsApp, e-mail, telefone ou da forma que preferir e sem compromisso!

 

José Aparecido Victor Junior, conhecido como Victor, casado com a Juliana, pai do Davi, formado em TI pela Fatec Jaú, especialista em marketing, sócio proprietário da TRIBOX, consultor comercial e está há 14 anos no mercado de internet.

https://www.tribox.com.br/blog/por-que-ter-um-site-se-nao-vendo-pela-internet/
Facebook Comment